Série Leitor(a) do Dia

Série Leitor(a) do Dia #26

postado em by Pablo Villaça em Série Leitor(a) do Dia | 6 comentários

Depois de um tempo sem atualizações, retomo a série “Leitor(a) do Dia” (embora não vá publicá-la diariamente, ok?). Aliás, vi agora que as fotos dos posts anteriores estão quebradas – resultado da mudança do layout -, mas corrigirei assim que possível.

Vamos lá.

Nome: Isabela Bustamanti, Americana (SP)

Há quanto tempo você lê o Cinema em Cena? E o blog? Como conheceu? O que te traz ao blog?

Conheci o site lá por 2004/2005; não me lembro muito bem. Acho que leio o blog desde que acompanho o site. Eu tinha uns 12 anos na época, nem me lembro exatamente como vim parar aqui, mas deve ter sido por causa de alguma sessão como a “Você Sabia?”, depois de procurar alguma curiosidade no Google. Gosto do blog porque, de certa maneira, é como um complemento às críticas. Tem quem não concorde, mas acho interessante saber quem é o cara por trás dos textos, como ele vê as coisas, sem se limitar ao que a gente absorve através das análises dos filmes.

Indique um livro para os colegas do blog.

O Vampiro Lestat, da Anne Rice. Quem achou o Louis de Entrevista com o Vampiro muito choramingão vai curtir mais ainda. 😛

Qual a memória mais antiga que tem relacionada ao Cinema?

A primeira vez que fui ao cinema: O Corcunda de Notre Dame, da Disney. Lembro até hoje de ter gritado de desespero durante o clímax (e juro que foi só daquela vez). Foi mais ou menos nessa época que minha mãe me deu o VHS de O Rei Leão, que eu fazia questão de ver todo dia, sem enjoar. As crianças dos anos 90 tiveram muita sorte em pegar essa fase da Disney. Esse último, aliás, é meu filme do coração até hoje. Até acho que foi aí o comecinho de todo o gosto por cinema.

Já passou raiva no cinema? Por quê?

Sim e, infelizmente, é algo bem frequente. Pela falta de educação das pessoas e pelo descaso da própria empresa no tratamento das exibições. O que sempre acontece por aqui é que o filme é mal projetado, geralmente num tamanho maior que o da tela, daí você percebe aquelas sobrinhas de filme na parte de baixo e um pedacinho da parte superior simplesmente fica cortado. Fiquei furiosa quando fui assistir a Rango e a gente não via, pelo jeito dos enquadramentos do filme, metade dos olhos dos personagens. Já reclamei várias vezes, mas não adianta, falam que “tá certo, sim”. E como moro em cidade pequena, a gente simplesmente não tem opção.

Cite um personagem do Cinema que gostaria de conhecer pessoalmente.

Edward Mãos-de-Tesoura. Se não quis dar um abraço no Edward no fim do filme, não tem coração.

Série Leitor(a) do Dia #25

postado em by Pablo Villaça em Série Leitor(a) do Dia | 14 comentários

Estou tão atrasado com esta série que até fico envergonhado. 🙁

Mas vamos lá:

Nome: Irene Cássia O. Dias (Belo Horizonte/MG)

Twitter: @emilybarret

Blog: bandaeumesmoeirene.blogspot.com

Há quanto tempo você lê o Cinema em Cena? E o blog? Como conheceu?

Eu leio o Cinema em cena há, sei lá, uns oito anos. Estava tentando descobrir o nome de um filme (pelo Google, lógico) e acabei descobrindo o fórum primeiro, depois vi as críticas e me apaixonei.  Descobri o blog há menos tempo que o Cinema em Cena, porque dei um google em Pablo Vilaça procurando… hã… um blog. Eu sei, eu sei, é constrangedor. Enfim. Simplesmente AMO o blog. Sinceramente, é a primeira página que abro depois do meu e-mail. Virou a rotina das manhãs.

O que mais gosta no blog? E o que mais detesta?

Ai, não faz pergunta difícil! Adoro tudo no blog, as musas por exemplo. É engraçado como você tem o talento de colocar fotos de mulheres semi-nuas, sem parecer parede de oficina mecânica. Parece tudo muito respeitoso. Como seus argumentos, suas convicções, coisas que admiro, mesmo quando não concordo inteiramente. Mas o que mais amo mesmo são relatos sobre Luca e Nina. Estou apaixonada por eles. Realmente, você tem que escrever um livro. O que mais detesto no blog é o fato de não ter pelo menos quinze posts novos por dia, o que corresponde mais ou menos à frequência de vezes em que faço uma visitinha, em um dia normal. De verdade. Quando você demora muito para postar (um dia ou dois, mais ou menos), eu penso: “Quem ele pensa que é? Vou matar esse cara”. Esse tipo de coisa.

Indique um livro para os colegas do blog.

Indicar só um livro é muito difícil, mas vou tentar: Les Miserábles, do Victor Hugo. Eu me senti tocada pelos personagens, seus sentimentos e o caráter de cada um. O inspetor Javert, por exemplo, é muito interessante. Realmente recomendo (o livro, não o inspetor).

Se você fosse dar ao seu filho (ou à sua filha) o nome de um personagem do Cinema, qual seria? E por quê?

Não tenho filhos ainda, mas tenho uma cachorrinha à qual dei o nome de Kika, em homenagem ao filme de Pedro Almodóvar, de quem sou fã. Acho que faria a mesma coisa com a criança. Seria maldade?

Algum filme já influenciou sua vida extra-Cinema de alguma forma?

Ensaio Sobre a Cegueira. Pergunto a mim mesma, até hoje, como me comportaria se vivesse a mesma situação dos personagens do filme (foram cometidos, praticamente, todos os pecados capitais, não é?). E dei uma boa chorada, enquanto as pessoas iam embora do cinema. Aquele prelúdio de Bach, no final, só piorou a situação. Batman – O Cavaleiro das Trevas. Alguém me perguntou se eu havia gostado do filme. – Não. – Respondi, meio emburrada. O impacto foi o mesmo do outro filme, quero dizer, se existe um Curinga, qualquer um pode ser se corromper, sendo que o Curinga no outro caso é cegueira, que… hum… estou divagando.

Um filme que, mesmo vendo pela milésima vez, te faz chorar.

Podem ser dois? Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças, Dupla Vida de Véronique

Cite três nomes do Cinema que gostaria de conhecer pessoalmente.

Vou colocar só pessoas vivas, infelizmente: Ralph Fiennes, pelo talento e (suspiros!) beleza. Clint Eastwood, pelo talento e aquela coisa do machão valente, de tantos filmes que já vi (suspiros, de novo). E Quentin Tarantino, pelo talento e… é, pelo talento. Será que cabe Pablo Vilaça aqui? Não, parece coisa de puxa-saco, esquece.

Série Leitor(a) do Dia #24

postado em by Pablo Villaça em Série Leitor(a) do Dia | 6 comentários

Nome: Leonardo de Oliveira Cunha (Belo Horizonte/MG)

Twitter: @leooc

Blogs: leooc.blogspot.com leooc.wordpress.com

Há quanto tempo você lê o Cinema em Cena? Como conheceu? E o blog?

Conheci o Cinema em Cena através do programa de TV, por volta do ano 2000. O site a princípio me afugentou, o achava confuso. Sobre o blog me marcou muito o post sobre o falecimento de sua avó. Só passei a segui-lo com afinco a partir de 2005. Voltei ao CeC na época da coluna Moviola do Ciccarini e do podcast com o Renato, Lara, Isabela etc. Hoje não perco um post, nem uma crítica, leio de cara aquelas de cujos filmes não tenho interesse em ver, passo o olho naquelas sobre o que estou em dúvidas e dos filmes que de certo não perderei deixo para ler depois de assistir.

Indique um livro para os colegas do blog.

Vou indicar o último livro que li: Meu último suspiro, de Luis Buñuel. E copio o que escrevi no GoodReads: “Um livro precioso, uma biografia não sobre fatos, mas sobre impressões e sentimentos, de um artista do século XX. Destaque para o momento em que Buñuel conjectura sobre os últimos momentos do amigo Lorca; para quando conta sobre sua mulher Jeanne; para o capítulo sobre coisas que aprecia e coisas que desgosta; e o capítulo final, pérola sobre a velhice e a iminência da morte. O Cinema acaba sendo apenas um detalhe, num relato sincero de uma vida intensa.”

Qual o seu filme favorito? E o que mais odeia?

Este negócio de filme favorito é difícil; lembro quando o Pablo não respondia a esta pergunta. Acho que melhor do que ficar se esquivando, a solução é eleger mesmo um sob todas as penas (abrindo mão de todos os outros!). O Pablo tem O Poderoso Chefão, Mark Kermode, crítico inglês que acompanho, tem o Exorcista. Então elegi já há um tempo A Primeira Noite de um Homem (The Graduate). Um filme até certo ponto simples, que funciona demais, com o qual me identifico muito, que tem uma trilha soberba, que revi mais que qualquer outro, que tem uma atuação belíssima do Dustin Hoffman. Outro golpe que dou em listas é citar trilogias; A Trilogia das Cores de Kieślowski, Trilogia O Poderoso Chefão, Trilogia Toy Story, Trilogia De Volta para o Futuro. (Não curto Guerra nas Estrelas, nem Senhor dos Anéis) Não tenho meu Rob Schneider. Mas odeio bem os filmes da Xuxa; vi Super Xuxa contra o Baixo-Astral no cinema e cochilei. Hoje evito ao máximo ver filmes ruins.

Qual sua ida ao cinema mais memorável? Por quê?

Acredito que foi Batman do Tim Burton. Tinha oito anos, acho que a classificação indicativa era acima disso, fui com a minha tia e ainda teve essa emoção, de ser ou não ser barrado. Todo aquele mundo foi muito novo para mim, foi uma experiência.

Cite três nomes do Cinema que gostaria de conhecer pessoalmente.

Vou citar dois que já vi pessoalmente, mas com quem gostaria de conversar. Dustin Hoffman, que vi no set de Tinha Que Ser Você em 2007, Sir Ian McKellen, que vi nos palcos londrinos com Patrick Stewart, e um para ficar mais plausível, Fernando Meirelles, de quem sou fã e que parece ser uma simpatia.

Série Leitor(a) do Dia #23

postado em by Pablo Villaça em Série Leitor(a) do Dia | 15 comentários

Nome: Felipe Dias de Miranda (Niterói/RJ)

Twitter: @Feldias

Há quanto tempo você lê o Cinema em Cena? Como conheceu?

Comecei a ler o Cinema em Cena em 2004 (e lá se vão 7 anos…). Eu tinha lá meus 14 anos e, como todo adolescente da época, era fã dos livros de Harry Potter. Costumava procurar na internet textos que falassem sobre a série e acabei me deparando com as críticas do Pablo aos primeiros filmes. Logo de cara achei fascinante o modo como ele dissecava cada aspecto dos filmes de maneira clara e expunha sua opinião com base em argumentos lógicos. Logo parti para ler todas as críticas de filmes que eu já tinha visto e até os que eu não tinha. Virei fã instantâneo não apenas do Pablo, mas do próprio Cinema enquanto arte. Conhecer o Cinema em Cena foi decisivo para eu enquanto espectador abandonar a passividade e me tornar um cinéfilo.

E o blog? O que te traz ao blog?

Só fui acessar o blog cerca de um ano depois de conhecer o site, quando decidi explorar outras áreas do Cinema em Cena que não fossem as críticas.  Acho que depois de tanto tempo acompanhando, lendo e comentando por aqui a gente acaba desenvolvendo um apego por esse espaço. Acabamos tendo um sentimento de que o blog é um pouco nosso também. Aqui é um canto da web onde interagimos com uma pessoa fantástica, onde debatemos diversos assuntos interessantes e temos a oportunidade de ler várias opiniões diferentes e bem embasadas. É um constante aprendizado.

Indique um livro para os colegas do blog.

Posso indicar um autor? Sou fã de romances medievais e quem também curte não pode deixar de conhecer a obra de Bernard Cornwell. Os livros são sensacionais! Recomendo a trilogia “Crônicas de Arthur” (“O Rei do Inverno”, “O inimigo de Deus”, “Excalibur”).

Se pudesse ter um caso com alguém do Cinema, com quem seria?

No cinema nacional, Letícia Sabatella. Lá fora, Natalie Portman. Preciso mesmo justificar? uhauhahua

Qual o seu filme favorito? E o que mais odeia?

Considero 2001 – Uma Odisséia no Espaço a maior obra prima já feita. Ainda não tenho certeza se a maior porcaria que eu já vi foi A Reconquista (aquele do Travolta) ou Crepúsculo…

O que mais gosta no blog? E o que mais detesta? Acho que é quase uma unanimidade que os casinhos do Luca e da Nina são sempre os melhores posts =) . O que eu mais detesto é quando uma discussão (envolvendo política, na maioria das vezes) descamba para o radicalismo e os dois lados abandonam o debate saudável e ficam tentando ganhar a coisa só no grito.

Série Leitor(a) do Dia #22

postado em by Pablo Villaça em Série Leitor(a) do Dia | 7 comentários

Nome: Amanda Almeida (Belo Horizonte/MG)

Twitter: @mandinha_bhz

Blog: mandinhabhz.wordpress.com

Há quanto tempo você lê o Cinema em Cena? E o blog? Como conheceu? O que te traz ao blog?

O Cinema em Cena já leio há algum tempo, mas não sei exatamente quanto. Mas comecei a entrar diariamente e se tornou minha principal referência cinematográfica depois que fiz o curso em 2008. A leitura diária no blog veio na mesma ocasião. O que me traz ao blog é ler os comentários diversos, sobre tudo. Admiro muito sua cultura e a forma de ver e opinar sobre todos os fatos. Adoro seus comentários sobre política e sociedade, que são parecidos com os meus, mas exprime suas idéias tão claramente que eu não saberia falar e escrever igual. Adoro também os posts sobre os filhos, admiro o carinho a admiração que você tem por eles.

Indique um livro para os colegas do blog.

Com tantas obras fantásticas no mundo, é até pecado escolher um só, não consigo. Indico dois do Saramago: As Intermitências da Morte e Ensaio sobre a Cegueira.

Qual a memória mais antiga que tem relacionada ao Cinema?

Minha mãe sempre me levou ao cinema, desde que me entendo por gente e minha (péssima) memória me permite lembrar. Era uma farra só, juntava todos os primos e íamos super empolgados para mais uma sessão. Apesar de ir com frequência, a cada ida era sempre uma alegria imensa. Adorava chegar no cine Brasil e Paladium, sentir aquele ‘cheiro de cinema’, ver o moço vendendo balas, comprar pipocas e admirar aquela tela gigante. Achava mágico o ambiente do cinema, e poder compartilhar esse momento com meus primos, que sempre foram minhas paixões, era fantasticamente delicioso.

Já passou raiva no cinema? Por quê?

Sempre! As pessoas estão cada vez mais mal educadas. Conversas sem fim, comentários, risadas, celular que mesmo estando no silencioso teimam em acender as luzes toda hora, pé “batucando” na cadeira da frente… todas essas coisas que desconcentram e nos tiram de dentro do filme.

Se pudesse ter um caso com alguém do Cinema, com quem seria?

Penélope Cruz! (muitos suspiros!)

Série Leitor(a) do Dia #21

postado em by Pablo Villaça em Série Leitor(a) do Dia | 9 comentários

Nome: Adolfo Brás Sunderhus Filho (Vila Velha/ES)

Twitter: @sunderhus

Blog: http://caminhoentredevaneios.wordpress.com

Há quanto tempo você lê o Cinema em Cena? E o blog? Como conheceu? O que te traz ao blog?

Se não me falha a memória, eu comecei a ler com uma certa frequência o site Cinema em Cena lá pelos idos de 2000. Estava buscando críticas a respeito do filme Gladiador (pelo qual eu tenho uma paixão muito grande) e me deparei com a sua, na qual você desanca o filme. Lembro até que cheguei a discutir contigo na parte de comentários a respeito do filme e tal (não sei se está lembrado)… Já o blog eu acompanho há menos tempo; deve ter coisa de uns cinco anos mais ou menos. Achei por intermédio do próprio portal mesmo e comecei a acompanhá-lo mais a partir do momento em que vi claramente o seu posicionamento político e enxerguei em ti um “irmão de partido”. Também me interessa muito no seu blog seus relatos relacionados aos seus filhos, os quais considero tocantes e belíssimos.

Indique um livro para os colegas do blog.

Isso depende muito… Agora, se for para indicar apenas um… bom… Ainda resta uma esperança, de J.M. Simmel.

Já passou raiva no cinema? Por quê?

Infelizmente, já passei raiva algumas vezes no cinema. Seja por causa do filme ser ruim (A Guerra dos Rocha), ou então por pessoas inconvenientes dentro do cinema, ou até por qualidade ruim de exibição dos filmes (infelizmente, algo comum nos cinemas da Grande Vitória). Agora, não tem nada que me deixa mais irritado dentro do cinema do que pessoas que não prestam atenção no filme e depois ficam comentando: “Não estou entendo…”, “O que foi que eu perdi”… Pôxa, fala sério!

Se pudesse conhecer um PERSONAGEM do Cinema, qual seria? Por quê?

Mufasa!

Qual sua ida ao cinema mais memorável? Por quê?

Foi quando eu assisti Cavaleiro das Trevas. A atuação de Heath Ledger como Coringa (que considero a melhor atuação que eu já vi em um filme, ao lado de Marlon Brando como Vito Corleone, Robert de Niro em Cabo do Medo e Al Pacino como Michael Corleone em Poderoso Chefão II) foi algo de extraordinário. Terminei o filme aplaudindo-o de pé, junto com mais de 200 pessoas que estavam dentro do cinema.

Série Leitor(a) do Dia #20

postado em by Pablo Villaça em Série Leitor(a) do Dia | 8 comentários

Nome: Christiane Costa da Silva (São Luís/MA, mas agora estou numa temporada de 2 anos na França para estudo e trabalho ;D)

Twitter: @kladina

Blog: kladina.blogspot.com (mas o blog esta sem atualizações há 6 meses. Tenho dezenas de posts preparados, esse mês ainda devo voltar a atualizá-lo)

Há quanto tempo você lê o Cinema em Cena? E o blog? Como conheceu? O que te traz ao blog?

Conheci o Cinema em Cena em 2004, procurando por umas informações do filme “The Godfather” pra fazer um presente pro meu pai rsrsrsrsr. Na época, eu namorava um rapaz cinéfilo e me chamou atenção o fato de suas criticas serem parecidíssimas com as dele sobre os filmes (até o fim do nosso namoro vcs so descordaram de um filme: “Mar Aberto”). Detalhe: ele não conhecia seu site, só apresentei a ele depois ;). O blog foi consequência. Gostei da sua franqueza e de como você argumenta pra defender suas idéias (mesmo quando eu não concordo com elas). Provavelmente é o que me faz voltar ao blog quase todos os dias… … os posts da Nina e do Luca também =DD

Indique um livro para os colegas do blog.

Dificil indicar só um… Vou indicar o último que eu li: “Labirinto” – Kate Mosse. Gostei da história 😉

Qual sua ida ao cinema mais memorável? Por quê?

Ahhh!! Estreia do “Senhor dos Aneis – O retorno do Rei”, dia 25 de dezembro de 2003. Foi uma verdadeira saga pra assistir ao filme!! Eu era fanática pela série. Em pleno Natal, o shopping só abriu pra essa estreia e estava MUITO cheio. Inicialmente so abririam 3 salas pra exibir o filme, e no fim foram abertas 3 salas adicionais, para poder conter o povo que tinha ali. O hall do cinema, que é enorme, estava um verdadeiro caos e eu ja triste achando que aquela bagunça não ia me deixar curtir bem o filme. Quando entramos na sala e o filme começou, um silêncio absoluto tomou conta da sala. Era todos fãs como eu, prestando atenção em CADA momento do filme. Meio nerd, eu sei, mas o grupo com quem eu estava (eramos 17 pessoas) até hoje lembra daquele dia com um gostinho de que valeu muito a pena todo o sufoco que foi pra ver o filme =)

Se pudesse conhecer um PERSONAGEM do Cinema, qual seria? Por quê?

Capitão Jack Sparrow, de “Piratas do Caribe” e Ferris Bueller, de “Curtindo a Vida Adoidado”. Entre todos os personagens cínicos do cinema que eu conheço, são meus favoritos.

Qual a cena ou o momento mais memorável do Cinema para você?

Nossa… vários!!! Posso fazer um top 3?? 1. O ‘despertar em cadeia’ dos personagens no final de “A Origem”; 2. A cena em que Theo e Kee saem de um prédio com o bebê nos braços em meio a uma batalha entre rebeldes e policiais, em “Filhos da Esperança” 3. A batalha nos campos de Pelennor, em “O Senhor dos Aneis – O retorno do Rei”

Um filme que, mesmo vendo pela milésima vez, te faz chorar.

 “À Espera de um Milagre”. Pensei que depois da 5a vez não ia mais surtir efeito, mas eu ainda fico com um nó gigante na garganta quando assisto.

O que mais gosta no blog? E o que mais detesta?

O que eu gosto: Como eu ja disse acima, o que eu mais gosto: seus argumentos. Por mais que eu não concorde, são coerentes. Os comentários do pessoal. Muitos completam seus posts. Gosto muuuuuito também dos posts com os ‘causos’ do Luca e da Nina. Toda vez que leio faço aquela carinha de ‘OWMM #morde” rsrsrsrsrsr. Da pra fazer um livrinho de anedotas com as historinhas!! Não gosto: Dos posts que vc se justifica demais por conta de uma discussão gerada nos comentários de algum post anterior…

Série Leitor(a) do Dia #19

postado em by Pablo Villaça em Série Leitor(a) do Dia | 2 comentários

Nome: Geovane Speckhahn (Joinville / SC)

Twitter: @geovasp

Há quanto tempo você lê o Cinema em Cena? E o blog? Como conheceu? O que te traz ao blog?

Bem amigos cinéfilos, conheci o Cinema em Cena na maior ferramenta de busca de internet – é isso mesmo, no bom e velho Google, há mais ou menos uns 11 anos quando estava a mil por hora pesquisando material para minha monografia do curso de Design. Quanto ao blog, confesso que acesso menos que o portal do Cinema em Cena, mas ele sempre foi legal pelo contato próximo do nosso amigo editor.

Indique um livro para os colegas do blog.

Um livro que recomendo muito e que não chega a ser um romance, mas é fundamental para quem ama cinema é “1001 Filmes para ver antes de Morrer” de Steven Jay Schneider. Com ele, pude apreciar obras com um olhar mais crítico.

Qual a memória mais antiga que tem relacionada ao Cinema?

É incrível, mas ainda tenho em minha memória uma sessão com minha mãe aos 5 anos para ver ET, e olha que já tenho 32 anos! Na sessão ainda levei um bonequinho do personagem que acendia o dedo. E, claro, chorei no final.

Cite três nomes do Cinema que gostaria de conhecer pessoalmente.

São tantos, mas lá vai: Robert De Niro pelo conjunto da obra, Steven Spielberg por dirigir os filmes que tanto me marcaram e Angelina Jolie pela beleza (é claro que ela não podia faltar).

Qual sua ida ao cinema mais memorável? Por quê?

Quando assisti ao primeiro Matrix: foi o primeiro filme que me deixou em “estado de choque”, tamanha a reação que me causou. É um filme especial para mim, pois assim como a crítica especializada eu o considero um marco do cinema. Ah, ele foi tema para minha monografia também.

Série Leitor(a) do Dia #18

postado em by Pablo Villaça em Série Leitor(a) do Dia | 17 comentários

Nome: Bruno Camurati (Rio de Janeiro/RJ)

Twitter: @brunocamurati

Site: http://www.youtube.com/brunocamurati

Há quanto tempo você lê o Cinema em Cena? E o blog? Como conheceu? O que te traz ao blog?

Não lembro bem como cheguei ao Cinema em Cena, mas há uns 5 anos já. É quase um ritual abrir o site após ver algum filme, só para ler o que Pablo pensa. O blog trouxe essa família mineira pra dentro da minha casa, e todo dia entro pra ver o que meu amigo tem a dizer. Quase sempre concordo, mas mesmo que discorde me encontro refletindo e aprendendo com suas palavras.

Indique um livro para os colegas do blog.

Recentemente li Precisamos falar sobre o Kevin, de Lionel Shriver. O livro retrata um adolescente que assassinou diversos alunos em sua escola, chacina que infelizmente não é tema novo no nosso repertório trágico. Só que neste caso a história é contada através de cartas da mãe do menino ao ex-marido, o que traz um olhar sobre as possíveis origens ou influências da criação familiar em um comportamento homicida. Forte e tocante, vale a pena pra quem gosta. E parece que neste ano será adaptado ao cinema. Vamos aguardar.

Qual o seu filme favorito? E o que mais odeia?

Difícil escolher, mas eu tenho um amor especial por Apenas uma vez. Por ser compositor, me identifico especialmente com a história e as canções mexem demais comigo. Além, claro, do filme como um todo, maravilhoso em sua simplicidade. Seria este, seguido de perto por As horas. O que mais odeio… difícil também. Mas ok, Transformers. Pra mim é uma mistura de Turma do Didi com Jaspion.

Qual a memória mais antiga que tem relacionada ao Cinema?

Lembro de ir quando criança assistir a Um tira no jardim de infância. Fiquei o filme todo explicando a história pra um amiguinho que ainda não sabia ler a legenda. Não sei porque, mas essa experiência marcou. Talvez por ser ali forçado a processar o filme para poder explicar.

Qual sua ida ao cinema mais memorável? Por quê?

Posso citar diversas idas memoráveis e maravilhosas ao cinema, mas vou citar uma que marcou por ser bem estranha. Fui com minha mãe e meu irmão, assistir a Fargo. Não sei o que deu em minha mãe pra levar dois adolescentes pra ver esse filme, só sei que não estava preparado para a experiência. Lembro de ficar em pé no cinema, lá atrás, de tão tenso que eu estava.

Série Leitor(a) do Dia #17

postado em by Pablo Villaça em Série Leitor(a) do Dia | 2 comentários

Nome: João Paulo Barreto (Salvador, BA)

Twitter: @jpbeatles

Blog: http://pelicula-virtual.blogspot.com

Há quanto tempo você lê o Cinema em Cena? E o blog? Como conheceu? O que te traz ao blog?

Conhecí o CeC a partir diretamente da revista SET, onde eram publicadas as notas que o Pablo atribuía a filmes. Indiretamente, conhecí o site pela revista MOVIESTAR, que eu comprava em 1999. Como na época eu não tinha internet (era um luxo ter isso em casa! creiam!), só acessei realmente o site depois de ver, mês após mês, o nome do Pablo nas páginas da revista. Então, devo ler o CeC desde 2004 ou 2003. É por aí, hehe. O blog veio por conseqüência, sendo que um dos momentos mais legais que acessei foi quando o Pablo publicou o que ele chamou de crítica mais especial da carreira dele: era sobre o nascimento do Luca = ) Volto sempre a esse espaço por conta das discussões pertinentes sobre cinema, política, vida, e, claro, raUL!!!

Indique um livro para os colegas do blog.

Para quem curte estudar cinema sem ter aquela exigência acadêmica ou teórica que os livros de Eisenstein pedem, recomendo a leitura de FAZENDO FILMES, maravilhoso livro do também maravilhoso diretor, Sidney Lumet. Uma linguagem deliciosa, acessível e com o respaldo técnico de um dos mais importantes cineastas do mundo. E cheia de bom humor, principalmente. Vale muito a pena ler.

Qual a memória mais antiga que tem relacionada ao Cinema?

Lembro-me de ter pedido à minha mãe para faltar aula na 3ª série (uau, faz tempo viu!) para poder ficar em casa, pois ia ser exibido Robocop na sessão da tarde. E ela deixou!

Qual sua ida ao cinema mais memorável? Por quê?

Ela é bem recente. Há bem pouco tempo pude assistir a O CHEIRO DO RALO na mesma sala onde estavam Selton Mello e alguns membros do elenco. Foi bem significativo por poder presenciar um depoimento apaixonado do Selton sobre aquele seu trabalho.

Cite três nomes do Cinema que gostaria de conhecer pessoalmente.

Martin Scorsese, Ethan e Joel Coen.