Monthly Archives: dezembro 2011

Monthly Archives: dezembro 2011

Tristeza por mais um aluno

postado em by Pablo Villaça em Cotidiano, Curso | 15 comentários

Há cerca de 18 meses, lamentei aqui a morte de um aluno de Porto Alegre, que se matou depois de romper com a namorada. Foi um baque, já que me lembrava claramente do jovem e de sua curiosidade durante o curso. É sempre um choque testemunhar o desperdício de uma vida cheia de potencial – e toda vida, especialmente em seu início, encerra em si um potencial magnífico -, mas quando este desperdício é autoinflingido, a sensação se torna particularmente angustiante. …

Estatísticas do blog em 2011

postado em by Pablo Villaça em Editorial | 1 comente

Assim como fiz em 2009 e 2010, aproveito estes últimos dias do ano para fazer um balanço dos últimos 12 meses. Já comentei sobre os melhores momentos no Cinema e agora é a vez de relembrar o que se destacou aqui no blog:   Os 10 posts mais acessados em 2011 (segundo o Google Analytics): 1) Os malefícios da dublagem 2) Por que o MinC está certo em autorizar Maria Bethânia a captar 1,3 milhão para seu blog 3) Eu tenho cara de …

Feliz Natal

postado em by Pablo Villaça em Vídeos | Comente  

(Via João Papa.)

Ninadas

postado em by Pablo Villaça em Luca & Nina | 4 comentários

Uma da manhã, Nina chega no escritório: – Papai, faz “cosquinha” em mim? – Minha filha, tá louca? Uma da manhã não é hora de cócegas, é hora de ir pra cama! – Eu não quero ir pra cama. – Mas filha… – Eu não gosto da minha cama, ela é chata! (pausa) Dá vontade de quebrar ela! Há alguns dias, fomos à Ri-Happy olhar brinquedos. De repente, a baixinha pega uma Barbie e se aproxima de uma vendedora: – …

Imagens do Cinema

postado em by Pablo Villaça em Fotos | 2 comentários

Iniciei um tumblr aqui só para publicar imagens e citações relacionadas ao Cinema. Visitem e espalhem. 😉

Melhores Momentos de 2011 (ou Série Você em Cena #41)

postado em by Pablo Villaça em Cinema, Série Você em Cena | 33 comentários

Depois de iniciar esta série em 2009 e repeti-la em 2010, chega a vez de fazer uma breve retrospectiva de alguns dos melhores momentos que o Cinema nos ofereceu em 2011 – e se eu tivesse paciência e habilidade, certamente compilaria um vídeo a partir dos instantes citados abaixo (se alguém quiser fazê-lo… :P).  Como sempre explico, o objetivo é listar “pequenas cenas, gestos, falas, qualquer coisa que talvez pudesse ser usada para resumir o impacto provocado por determinado título” …

Dexter – Sexta Temporada – Episódio Final

postado em by Pablo Villaça em Séries de tevê | 40 comentários

(Spoilers abundam como as vítimas de Dexter.) Oh, Dexter. Depois de um começo apenas correto, a temporada ganhou relativa força à medida que a história ia sendo desenvolvida e os temas principais iam sendo apresentados: se lá atrás Dexter insistiu para colocar Harrison numa escola católica, isto eventualmente se refletiu no arco do sexto ano, que girava em torno de um serial killer com motivações apocalípticas; por outro lado, se o personagem-título se tornou próximo do “irmão” Sam, isto obviamente cumpriu …

Somos humanos, não um canal de notícias

postado em by Pablo Villaça em Cotidiano, Mundo | 29 comentários

Há alguns dias, um blogueiro famoso morreu precocemente em função de problemas crônicos de saúde. Eu não o conhecia e tampouco o lia, mas a reação à sua partida me chamou a atenção. Em um primeiro momento, dezenas (talvez centenas) de tweets se espalharam com palavras do tipo: “Morreu FulanodeTal. Muito triste. #FulanodeTal #RIP”“Arrasado com a morte de FulanodeTal. Descanse em paz! #FulanodeTal #RIP” E assim por diante. O que mais me intrigou, no entanto, foi perceber que, minutos depois, …

Os Filmes de 2011

postado em by Pablo Villaça em Cinema, Vídeos | 5 comentários

Cinema. Às vezes, esqueço-me de como tenho sorte de poder viver dele e para ele. (segundo vídeo sugerido por @IvanBender, no Twitter)

Life Itself – Capítulo 09: Blackie

postado em by Pablo Villaça em Livros | 17 comentários

Lendo “Life Itself”, do ídolo, mentor e (que orgulho dizer isso) amigo Roger Ebert, mantive basicamente duas reações: choros e sorrisos. O choro começou já no início, quando Roger escrevia sobre o pai, e se manteve até o final; já os sorrisos vinham não apenas de suas histórias e lembranças, mas da maneira elegante e belíssima com que ele construía suas ideias e frases ao longo da narrativa. Roger é um escritor nato; o que ele possui não é apenas …