Monthly Archives: maio 2015

Monthly Archives: maio 2015

Projeto Breaking Bad – S01E01 – Piloto

postado em by Pablo Villaça 25 comentários

(Fuck you, Bogdan! Fuck you and your spoilers!) Piloto Dirigido e roteirizado por Vince Gilligan. Fotografia: John Toll. Montagem: Lynne Willingham. Música: Dave Porter. Design de produção: Robb Wilson King. Direção de arte: James Oberlander. Figurinos: Kathleen Detoro. Com: Bryan Cranston, Anna Gunn, Aaron Paul, Dean Norris, Betsy Brandt, R.J. Mitte, Steven Michael Quezada, Max Arciniega, John Koyama, Marius Stan. “A Química é o estudo da mudança”, diz Walter White no episódio piloto de Breaking Bad, completando pouco depois: “É como …

A Mulher no Livro de Granito

postado em by Pablo Villaça 1 comente

O som do cascalho sob seus pés era um de seus favoritos no mundo. Respirou fundo, fechou os olhos e ergueu o rosto para sentir o calor do sol. Sorriu e voltou a caminhar. O cemitério era lindo. Já estivera em muitos cemitérios. Sempre que visitava uma cidade nova, fazia questão de conhecer dois lugares: o mercado público e o cemitério. No primeiro, testemunhava a cor local, entreouvia sotaques em conversas animadas e sentia os cheiros particulares do lugar; no …

A Arte de The Last of Us

postado em by Pablo Villaça 29 comentários

A discussão sobre a natureza artística dos games é tola. Qualquer obra criada por um humano (ou uma equipe) que vise provocar uma reação emocional/psicológica em outras pessoas é, por definição, Arte. Podemos discutir o grau de maturidade no qual os games se encontram como forma de expressão artística – e certamente podemos abordar a questão da autoralidade em um jogo criado dentro de um conceito industrial (como no próprio Cinema), mas descartar seu valor intrínseco é algo que só …

O Amor nos Tempos do Chat

postado em by Pablo Villaça 3 comentários

Viu a luz verde surgir na janela de chat do Facebook e congelou. Na verdade, sabia que não era uma luz verde; apenas um círculo colorido indicando que a outra pessoa encontrava-se online e não havia bloqueado a possibilidade de ser chamada para uma conversa – e embora o verde tivesse um significado universal de “siga em frente”, ele experimentava um sentimento de quase pânico diante da possibilidade de dar o passo seguinte. Era mais velho. Anacrônico, de certo modo. …