Forma e Estilo – 3a. Edição – Rio de Janeiro

A edição do Forma e Estilo no Rio de Janeiro representou o primeiro momento no qual me senti realmente confortável com a estrutura do curso: depois de duas edições, já me sentia familiarizado com o tempo das aulas, com as transições entre temas (embora ainda precise trabalhar um pouco nestas) e tinha a sequência das explicações completamente memorizada, o que me permitiu relaxar mais, brincar mais e me concentrar mais na didática.

Por outro lado, esta semana marcou a primeira vez em todos estes anos (e 48 edições) em que tive que desmarcar uma aula. Depois de passar mal na madrugada de domingo para segunda (enxaqueca), embarquei para o Rio acreditando ter melhorado apenas para sentir dores fortes já dentro do avião – o que me obrigou a visitar um pronto atendimento médico na capital carioca assim que cheguei à cidade. Bombardeado por analgésicos e sem saber quando sairia de lá, tive que cancelar a aula de segunda-feira – e, graças à compreensão da Fátima Carneiro da Praxes (que sempre abriga meus cursos no Rio), pude remarcar a aula faltante para o sábado de manhã. Além disso, fiquei tocado com a compreensão dos alunos. Ninguém desistiu do curso e praticamente todos indagaram sobre meu estado de saúde na terça-feira. (Além, claro, dos presentes e lanches levados por Renata, Josimar, Melina, Andréia e Francisco, incluindo um livro e um cadeado de O Poderoso Chefão. Amo estes meus alunos.)

Fiquei feliz também com o resultado da pergunta (que estou incluindo nas primeiras edições do Forma e Estilo) que pede que os alunos digam se consideraram o novo curso “inferior, similar ou superior” ao Teoria, Linguagem e Crítica: daqueles que responderam (ou seja: que fizeram ambos os módulos), 93,9% consideraram “similar ou superior”.

Como já fazia antes, entreguei um formulário ao final do curso para que os alunos comentassem e atribuíssem “pontos” à experiência, que incluía os seguintes itens, que são graduados com notas que vão de 1 a 5: Infra-estrutura (instalações, recursos audiovisuais, atendimento); Conteúdo; Didática (clareza de exposição, domínio dos conteúdos); Estrutura do Curso (ordem dos conteúdos, divisão do tempo disponível). As notas das edições anteriores: 4,38 (Segunda); 4,54 (Primeira).

As médias das notas foram:
Infra-estrutura: 3,47
Conteúdo: 4,82
Didática: 4,83
Estrutura do curso: 4,53

Média geral: 4,41

Sem considerar o auditório, a média seria 4,73.

Para concluir, a foto tradicional de formatura (clique para ampliar).

postado em by Pablo Villaça em Curso