Curso – 31a. Edição – Balanço

A turma de Recife foi uma das mais malucas que já tive – talvez a mais maluca de toda a América Latina (piada interna para recifenses). Poucas vezes tive tantos alunos insanos – algo que atingiu seu ápice quando um deles saltou da cadeira, no penúltimo dia de aula, para mexer no mouse do meu notebook a fim de desligar um pequeno aviso na tela por não aguentar mais a ansiedade de vê-lo sendo exibido enquanto eu explicava os conceitos téoricos (no processo, ele empurrou a mesa, quase derrubou um copo de água sobre o datashow e me matou do coração). 

Em outras palavras: me diverti imensamente. Aqui, uma aluna fazia perguntas amalucadas apenas para, de repente, me surpreender com um insight impecável; ali, um outro soltava uma gargalhada atrasada que, ressoando no silêncio da sala, levava os demais ao riso. Foi um caos controlado: todo o conteúdo foi passado dentro do horário previsto, mas os incidentes inesperados coloriram a semana.

Aproveito ainda para agradecer ao querido Rick Monteiro, que não apenas me buscou e levou ao hotel todos os dias como ainda me conduziu num agradável passeio pela cidade. E não posso esquecer também do gentil Kleyvisson, da FIR, que abrigou o curso com conforto e simpatia. Como se não bastasse, ganhei tantos presentes dos alunos que minha mala ficou difícil de arrumar (uma dificuldade agradável, vale dizer) – e, assim, mando beijo grande para Luciana, Wilker, Vladimir, Roberto e Marília (se esqueci de alguém, identifique-se nos comentários!).

(Ah, sim: contando com Recife, 940 alunos de todas as regiões do Brasil já passaram pelo Teoria, Linguagem e Crítica apenas de 2009 para cá.)

Mas vamos ao balanço e à explicação habitual: como sempre, entreguei um formulário ao final do curso para que os alunos comentassem e atribuíssem “pontos” à experiência, sendo que as edições anteriores obtiveram as seguintes avaliações (num máximo de 5 pontos): 4,44 (Trigésima), 4,65 e 4,63 (Vigésima nona – Tarde e Noite), 4,49 e 4,47 (Vigésima oitava – Tarde e Noite), 4,48 (Vigésima sétima), 4,73 (Vigésima sexta), 4,51 (Vigésima quinta), 4,62 (Vigésima quarta), 4,57 (Vigésima terceira), 4,71 (Vigésima segunda), 4,64 (Vigésima primeira), 4,62 (Vigésima), 4,68 (Décima nona), 4,58 (Décima oitava), 4,20 (Décima sétima), 4,40 (Décima sexta), 4,62 (Décima quinta), 4,57 (Décima quarta), 4,47 (Décima terceira), 4,57 (Décima segunda), 4,76 (Décima primeira), 4,22 (Décima), 4,33 (Nona), 4,45 (Oitava), 4,07 (Sétima), 4,44 (Sexta) e 4,27 (Quinta). Estas avaliações incluem os seguintes itens, que são graduados com notas que vão de 1 a 5: Infra-estrutura (instalações, recursos audiovisuais, atendimento); Conteúdo; Didática (clareza de exposição, domínio dos conteúdos); Estrutura do Curso (ordem dos conteúdos, divisão do tempo disponível).

Desta vez, as médias das notas foram:
Infra-estrutura: 3,96
Conteúdo: 4,77
Didática: 4,89
Estrutura do curso: 4,55

Média geral: 4,54.

Para concluir, a foto tradicional de formatura (clicável).

postado em by Pablo Villaça em Curso