Milk e os homófobos

 Vejam o gráfico abaixo: 

O que ele representa? A posição, no ranking do IMDb, dos filmes Milk, Deixe Ela Entrar, Gran Torino e Na Mira do Chefe.Reparou algo estranho? Sim, a queda brusca experimentada por Milk foge da normalidade do gráfico e da tendência que vinha sendo seguida pelo filme. Coincidentemente, a queda tem início no dia do anúncio das indicações ao Oscar, quando o longa foi citado em várias categorias importantes, incluindo as de Melhor Filme, Diretor, Ator, Ator Coadjuvante e Roteiro Original.

Como explicar isso?

Pois bem: o gráfico em questão foi publicado pelo site Awards Daily, que também faz uma análise bastante certeira do fenômeno – que, não à toa, ocorreu também com O Segredo de Brokeback Mountain. Basicamente, o que ocorre é que, com as indicações, milhares de pessoas visitam o IMDb para verificar que filmes são aqueles que receberam tantas citações – e ao descobrirem que um longa que defende a causa gay está entre os citados, os homófobos de plantão imediatamente tascam uma nota "1" (a menor) para o título em questão a fim de diminuirem sua média. É um protesto não contra o filme em si, mas contra a homossexualidade de modo geral.

De acordo com o Awards Daily, até mesmo os filmes mais respeitados recebem as notas "1" ou "2" de cerca de 1-2% de todos os votantes do IMDb. No caso de Milk, porém, 5,6% de todos os votantes o classificaram com a pior nota possível. Ora, eu assisti ao filme: não é excelente, mas é muito bom – e seria preciso um grande esforço mental para imaginá-lo como uma porcaria digna de receber 1 em 10. (O Segredo de Brokeback Mountain, acreditem, foi classificado como "1/10" por 8,1% dos votantes!)

A título de comparação: Quarteto Fantástico, aquela merda dirigida por Tim Story em 2005, foi classificado como 1/10 por 4,9% dos votantes.

postado em by Pablo Villaça em Cinema, Variados

66 Respostas para Milk e os homófobos

Adicionar Comentário