Watchmen

Ontem finalmente li os doze volumes de Watchmen, série escrita por Alan Moore e ilustrada por Dave Gibbons. Fiquei impressionado; eu simplesmente não conseguia parar de ler. O quarto capítulo, em especial, que gira em torno da história do Dr. Manhattan, me impressionou particularmente pela belíssima construção narrativa. Aliás, a estrutura da série é impecável: não apenas as narrativas paralelas se complementam perfeitamente (incluindo-se, aí, uma "história-dentro-da-história" girando em torno de um náufrago) como a própria utilização dos personagens secundários (quase figurantes, na realidade) é empregada com inteligência por Moore. Se inicialmente o leitor questiona a importância do jornaleiro, do garoto do gibi, do psiquiatra ou do casal de lésbicas, esta dúvida cai por terra quando percebemos como o tempo que passamos ao lado destas figuras aumenta o impacto dramático dos acontecimentos do terceiro ato da trama (se é que podemos falar em "terceiro ato" no caso de graphic novels).

Fiquei entusiasmado para ver o filme. E, assistindo ao trailer, é possível perceber que, ao menos visualmente, Zach Snyder parece ter sido bastante fiel ao conceito original.

postado em by Pablo Villaça em Novos filmes, Variados

60 Respostas para Watchmen

Adicionar Comentário