A Feiura Está nos Olhos de Quem Vê

“Há quanto tempo a gente não faz um bom filme no país?”, perguntou Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, em mais um ataque à indústria audiovisual da nação que deveria representar em vez de se preocupar apenas com os interesses e problemas de sua própria família cercada de acusações criminosas que vão de fraude a envolvimento com milicianos e assassinatos.

É uma boa pergunta. A resposta: provavelmente um ou dois dias, já que a produção cinematográfica brasileira vem atravessando um de seus melhores períodos – ao menos, até o momento, já que Bolsonaro parece determinado a destruí-la.

Mas posso ser mais específico. Só ESTE ANO, DOIS filmes brasileiros receberam prêmios importantes no mais prestigiado festival do mundo. Já no Festival de Brasília, que aconteceu no início do mês e no qual fiz parte do júri oficial, tivemos obras fantásticas como A Febre, Alice Junior, Rodantes, Um Filme de Verão, O Tempo que Resta e Batalha.

A indagação por sinal, fala tudo sobre Bolsonaro e nada sobre o Cinema brasileiro, que é um dos mais inventivos do mundo e reconhecido nos principais festivais. (Aliás, já tem filme nosso selecionado para a próxima Berlinale, que cobrirei.) Que um presidente ataque a produção cinematográfica do próprio país já é inacreditável; que demonstre uma ignorância tão grande quanto à qualidade desta, inaceitável e chocante. Bolsonaro é uma criatura orgulhosa da própria estupidez; sua tosquice está em seu DNA.

Já nosso Cinema tem puro talento no seu.

Aliás, uma pequena (e incompleta) lista de apenas alguns dos filmes brasileiros lançados em 2019 (no circuito ou em festivais) e que deveriam trazer orgulho a todos nós. Em ordem alfabética:

Alice Júnior
Anna
Bacurau
Batalha
Beco
Bixa Travesty
Breve Miragem de Sol
Chão
Chorão: Marginal Alado
A Cor Branca
Currais
Deslembro
A Febre
Fendas
Um Filme de Verão
Guerra de Algodão
Homem Livre
Indianara
No Coração do Mundo
Onde Quer Que Você Esteja
Organismo
Pacarrete
A Parte do Mundo que me Pertence
Pastor Cláudio
Rodantes
Siron – Tempo Sobre Tela
O Tempo que Resta
A Vida Invisível

Isso tudo EM 2019. Hollywood, que produz muito mais filmes anualmente, não gerou uma lista extensa, sólida e DIVERSIFICADA como esta. Mesmo. Vocês não vão encontrar dois filmes nesta lista que se pareçam um com o outro – estética ou tematicamente.

O Cinema brasileiro vai muitíssimo bem. Apesar dos nossos governantes.

Só não enxerga isso quem é muito vira-lata ou muito ignorante. Ou ambos.


A propósito: todos os gastos do Cinema em Cena com cobertura de festivais são bancados por mim mesmo – e o site também mantém colunistas remunerados, gerando empregos. Se quiser nos apoiar, agradeço imensamente; para saber mais, é só ir em http://www.catarse.me/cinemaemcena.

.

postado em by Pablo Villaça em Cinema, Novos filmes, Política, Premiações e eventos

2 Respostas para A Feiura Está nos Olhos de Quem Vê

Adicionar Comentário