Conclusão sobre Papai Noel

Depois que Luca enviou sua cartinha a Papai Noel, que incluía o desejo de ganhar um boneco de Darth Vader, comecei a buscar o brinquedo nas lojas físicas e online. E nada. Darth Maul, Luke Skywalker, C-3PO… todos eram facilmente encontrados com um ou dois cliques, mas Vader parecia ter desaparecido do comércio nacional. Já ansioso, publiquei um pequeno pedido de ajuda no Twitter e, dez minutos depois, já havia conseguido localizar o boneco graças à ajuda de vários leitores.

Aliviado, comentei com Luca:

– Olha, só por curiosidade eu procurei o Darth Vader em várias lojas da internet. E não achei nenhum, acredita? Ainda bem que você pediu pro Papai Noel, porque se tivesse pedido pra mim, eu não ia conseguir encontrar! Aliás… fiquei até preocupado: como será que o Papai Noel vai conseguir o Darth Vader se nas lojas não tem?

E ele, sem hesitar:

– O Papai Noel fabrica os brinquedos, papai.

Corta para duas semanas depois. Num dos últimos dias de aula, a professora de Luca permitiu que os alunos levassem brinquedos para a escola e o pequeno escolheu o Esqueleflex que havia ganhado de Papai Noel no ano passado. Ao entrar no carro, na hora de voltar para casa, porém, a surpresa:

– Sabe o que eu achei na caixa do Esqueleflex e que eu nunca tinha notado? Um adesivo da Ri-Happy! Sabe o que isso significa?!

Gelo na espinha. Já era possível até imaginar as frases seguintes: “Que não foi Papai Noel quem me deu isso! São os pais que dão! Sempre os pais! Os mentirosos e traiçoeiros pais!”

– O… o que isso significa, meu filho?

– Que o Papai Noel não fabrica os brinquedos coisa nenhuma! Ele compra na Ri-Happy!

Não há nada mais lindo que a inocência de uma criança.

postado em by Pablo Villaça em Luca & Nina

22 Respostas para Conclusão sobre Papai Noel

Adicionar Comentário