Abordagem equivocada

Todos os dias, recebemos propostas de parcerias e questionamentos sobre valores para anunciar no Cinema em Cena. Na maior parte do tempo, descartamos as parcerias por motivos óbvios, já que a maioria beneficiaria bem mais o "parceiro" do que o site, já que, com mais de 13 anos de estrada, temos uma audiência considerável. Mas normalmente respondemos com gentileza às ofertas, mesmo recusando-as.

Com exceção do email recebido hoje.

Apresentando-se como integrante da equipe de uma agência de publicidade, o autor do email explicou trabalhar na divulgação online de um filme brasileiro prestes a ser lançado e imediatamente fez a "proposta" de oferecer alguns kits para que sorteássemos para nossos leitores em troca de publicidade no site. E só. Nenhuma menção a alguma remuneração pelo espaço que ofereceríamos ou mesmo uma indagação sobre quanto cobramos por esse tipo de ação, como normalmente acontece. Em vez disso, escreveu:

"Aguardo o seu retorno o mais rápido possível, pois temos uma cota de blogs para
fechar. Assim que alcançarmos essa cota de distribuição dos kits que possuimos
não poderemos abrir concessões. Segue em anexo o nosso projeto de parceria."

Isso me irritou. Muito. E enviei a seguinte resposta que deixo aqui registrada caso alguma outra "agência" resolva confundir o Cinema em Cena com o blog do Zé:

"(xxx),

muito me espanta seu email dizendo que "não poderão
abrir concessões", como se estivessem fazendo um favor ao Cinema em Cena em nos
oferecer – oh! – kits de brindes. O Cinema em Cena atinge 1,5 milhão de usuários
ÚNICOS por mês. Não nos coloque no mesmo pacote que blogs pessoais.

Não estamos interessados em sua "proposta" (que
considerei ofensiva pelo conteúdo e pelo tom) e sugiro que pesquise um pouco
mais antes de disparar estes seus emails da próxima vez. (xxx) é um
grande diretor e merece uma assessoria mais atenta – o que me leva a questionar
se ele está a par desta abordagem desastrosa de vocês, que conseguiu apenas
ofender um veículo importante como o Cinema em Cena.


Um grande abraço e bons filmes!
Pablo Villaça"
 
UPDATE: A responsável pelo departamento de mídia social da agência em questão entrou em contato comigo se desculpando pelo email do sujeito. Curiosamente, eu havia fechado há algum tempo uma promoção menor e restrita ao Twitter com outro funcionário da mesma agência. E, em resposta ao email da supervisora, escrevi:
 
"(xxx),
 
pra ser bem sincero, estou um pouco farto de ver o
Cinema em Cena e outros sites de nosso porte sendo tratados como veículos sem
importância nos quais as promoções são uma forma de conseguir divulgação
gratuita. Fechei a parceria do (xxx) por um único motivo: eu a foquei no
twitter e fiz uma chamada no site. E pronto. O Cinema em Cena não irá mais
oferecer esse tipo de opção de promoção –  A MENOS que esteja acoplada a
remuneração pelo espaço.
 
Esta é uma insatisfação generalizada que, por
exemplo, Marcos Petrucelli do E-pipoca compartilha comigo. As agências e
distribuidoras não gastam um centavo em publicidade em sites IMPORTANTES como o
Cinema em Cena, mas investem no Adsense e por aí afora.
 
A abordagem é tão equivocada que mesmo o (xxx),
que foi bem mais diplomático que o (xxx), chegou a dizer duas ou três vezes
que um dos kits a serem sorteados seria para mim – e o corrigi sutilmente
dizendo que não ficaria com nenhum, que sortearia todos. Percebe o erro que ele
cometeu? Ao sugerir que eu fique com um, implica, nas entrelinhas, que a agência
está presenteando o EDITOR de um portal de notícias relevante como o Cinema em
Cena com um kit em troca de publicidade. Anti-ético, feio, nada
diplomático.
 
Algo deve mudar nessa história toda. E o fim das
promoções gratuitas no CeC é um primeiro passo nessa mudança.

Um grande abraço e bons filmes!
Pablo Villaça"
postado em by Pablo Villaça em Variados

50 Respostas para Abordagem equivocada

Adicionar Comentário